O sapato certo para valorizar seu tipo de corpo

26 de setembro de 2014


Assim como as roupas, os sapatos também valorizam o tipo de corpo das mulheres. Eles ajudam a alongar a silhueta, acentuam as curvas e complementam o look. Se você fica na dúvida sobre qual sapato combina mais com seu tipo de corpo, a consultora de moda Bia Kawasaki  dá uma forcinha com quatro dicas básicas de sapatos curingas para acertar no visual.

"Considero os sapatos peças-chave no guarda-roupa", afirma Bia. De acordo com ela, o interessante é investir em sapatos confortáveis e corretos para cada ocasião.  "Não é necessário ter vários tipos de pares, mas sim ter poucos calçados que sejam bons e práticos", completa.

Confira os sapatos certos para o seu tipo de corpo:

Saltos
Saltos agulha são indicados para ambientes formais, como formaturas, festas, etc. Já os saltos quadrados podem ser usados em ambiente de trabalho ou no dia a dia e combinam com qualquer biotipo.
"Saltos anabela são esportivos, ou seja, devem ser usados em ambientes informais", explica a consultora. Este tipo de salto deve ser evitado por quem tem os tornozelos grossos. "As mulheres que têm este biotipo devem evitar qualquer tipo de sapato que amarre os tornozelos, ou tenha algum detalhe que deixe esta região em evidência", indica.

Rasteirinhas
As sandálias baixas e rasteirinhas devem ser usadas em ambientes fora do trabalho, pois são sapatos para um momento mais light, como em campos, praias, uma voltinha ao shopping,  um piquenique, etc.
Bia indica as rasteirinhas tanto para as mais altas, quanto para as baixinhas, que não devem temer calçados sem saltos. "Existe um mito de que as mulheres de menor tamanho devem investir somente nos saltos. Elas podem apostar, sem medo, em sandálias ou sapatos baixos e combiná-los com calça capri, shorts ou macaquinho", finaliza.

Sapatilhas
"As sapatilhas podem ser usadas no trabalho - exceto em casos mais formais, como os das executivas - e de vez em quando, substituir os saltos", comenta Bia. Para suprir a formalidade do salto, as sapatilhas têm que ser de couro, verniz, ou estar acompanhada de um detalhe sóbrio na ponta ou lateral do sapato, como fivelas, ou laços.
Estes calçados são indicados para mulheres altas, baixa, magrinhas ou mais cheinhas. O importante é só tomar cuidado com o modelo do calçado. "Se você olha no espelho e pensa que está indo para a feira, descarte de cara a sapatilha para ir ao trabalho. Também não indico os calçados de plástico. Estes são para ocasiões mais informais: para ficar em casa, ir ao supermercado, etc", completa a especialista.

Botas
Botas montarias são ótimas companheiras de campo ou para um passeio na cidade. Mas, quando o assunto é trabalho, estes calçados devem estar descartados do armário. "Em ambientes formais, o melhor é apostar em botas com saltos", afirma Bia.
A maioria das botas é indicada para todos os biotipos, exceto as ankle boots, que não combinam com tornozelos mais grossos, pois dão o efeito de volume. "Mulheres com a canela mais fininha podem investir em botas com fivelas laterais, ankle boots, sapatos que amarrem no tornozelo, etc", completa a especialista.

Tênis
"Tênis esportivo deve ser usado em ambiente de esporte e somente lá", afirma Bia. De acordo com a consultora, os tênis são mais indicados para momentos de lazer, como parques, em casa, ou atividades físicas.
Mesmo assim, quem quiser arriscar usar o tênis em ambientes de trabalho, Bia indica os sapatênis. “Eles devem ser usados apenas em momentos específicos, como a sexta causal, e sem meia nos pés”, recomenda a consultora de moda. Na rotina de trabalho, ou em ambientes muito formais (mesmo em dia de sexta casual), é melhor não investir nos pisantes.

Fonte e imagem: Uol

Como cuidar dos seus calçados corretamente

19 de setembro de 2014


Para conservar o seu modelo novo e bonito por muito mais tempo é fundamental seguir algumas recomendações:

Evite molhar seus sapatos, mas caso isto ocorra, nunca coloque-os no sol. Deixe-os secar à sombra e longe também de qualquer outra fonte de calor. Ou seja, nada de deixar atrás de geladeiras, usar secador de cabelos, etc. Colocar jornal na parte de dentro do sapato ajuda a absorver a umidade e ainda mantém a forma do calçado.

Na hora da limpeza, como dissemos acima, nunca molhe seu calçado, muito menos mergulhe-o na água. Isto pode ser desastroso, pois danifica os materiais, a cor e a textura. Obviamente, máquina de lavar está completamente fora de cogitação.

Independente do material do seu sapato, delicadeza é palavra-chave. Jamais esfregue com força ou passe esponjas grossas. O ideal é saber a forma mais adequada de limpeza para cada tipo de matéria-prima como listamos a seguir:

Couro em geral
Umedeça levemente uma flanela macia e passe delicadamente sobre a superfície para retirar a sujeira. O ideal é utilizar produtos impermeabilizantes para calçados que existem no mercado logo que eles sejam comprados, pois isto evita a absorção de líquidos pelo couro desde seu primeiro uso. Sprays, graxas e pomadas próprias também evitam o ressecamento e o aparecimento de rachaduras.

Couro tipo camurça e nobuck
Escovas de cerdas bem macias são o principal aliado deste tipo tão delicado de couro. Existem escovas próprias para camurça e nobuck, mas isto não é obrigatório; basta serem bem macias. As escovas devem ser utilizadas sempre secas.

Couro tipo croco e cobra
Use apenas flanelas e panos macios secos. Assim fica mais fácil de retirar a sujeira que por ventura se acumule nas texturas.

Couro verniz
Utilize somente flanelas e panos macios umedecidos. Jamais use escovas, pois elas podem riscar o verniz.

Outros cuidados:

O ideal é sempre guardar seus sapatos com fôrmas próprias ou preenchendo seu interior com papel ou jornal amassado. Botas de cano alto podem ser preenchidas com revistas enroladas, ajudando assim a manter seu formato intacto.

Calçados precisam “respirar”, os de couro principalmente. Após um dia inteiro em contato com os pés é ideal deixar o seu sapato em ambiente arejado (evite deixar em banheiros por sua típica umidade), à sombra e logo que você os descalce. O uso de sapatos de couro por dois dias seguidos não é recomendado, pois além da deformação acentuada do material, ele pode acumular odores, o famoso chulé.

Por falar em odores, é sempre indicado que além da higiene diária dos pés e o uso de meias sempre limpas, a utilização de talcos próprios.

Fonte: Bottero

Dicas de moda para baixinhas arrasarem!

12 de setembro de 2014

As roupas, calçados e acessórios são grandes aliados das mulheres na busca pelo visual perfeito. Com os truques certos, é possível ajustar a estatura, peso e até mesmo deixar a pele com uma aparência melhor.

Tamanho não é documento, mas pode sim influenciar o seu estilo. Afinal de contas, a roupa certa pode fazer com que você se sinta mais confiante e à vontade. E quem não gosta de se sentir assim, não é mesmo? Por isso, hoje vamos compartilhar como as principais peças do guarda-roupa podem valorizar o visual das baixinhas que querem marcar presença. Olha só!

Saias e vestidos

Aposte nos dois extremos, ou curto ou longo. Ambos alongam a silhueta, enquanto comprimentos médios (entre o joelho e a canela) podem fazer com que as pernas pareçam mais curtas.

O mesmo serve para os shorts. Quando acima dos joelhos, eles alongam, enquanto modelos como as bermudas, podem criar aquele visual “achatado”.

Calças

Prefira os modelos de cós alto, pois a cintura baixa faz com que o tronco pareça mais longo e as pernas mais curtas. As calças sequinhas, como a skinny, são as mais indicadas, mas modelos mais soltos como a pantalona, por exemplo, estão liberados.

Blusas

As camisetas, camisas e blusinhas mais sequinhas valorizam o visual. Lembre-se que a blusa pode ser mais justa, mas não necessariamente marcando o corpo. As blusas na altura da cintura também criam um efeito bacana!

Sapatos

O salto médio é a melhor opção para as baixinhas. Se você for magrinha opte pelo salto fino, mas se tiver pernas grossas prefira os saltos grossos. De forma geral, usar um sapato da mesma cor da roupa ajuda a alongar a silhueta e é uma opção para os momentos em que o salto é dispensável.

Atenção:

- Listras horizontais e estampas grandes achatam a silhueta;
- Modelagens muito grandes devem ser evitadas;
- Maxi-acessórios e até mesmo maxibolsas não são boas opções, pois fazem com que você pareça mais baixinha;
- Cores muito contrastantes entre a parte de cima e de baixo também não favorecem o visual.

Abuse:

- Listras verticais e estampas com padrões pequenos alongam a silhueta;
- O decote em “V” é o ideal, pois alonga o tronco;
- Acessórios pequenos e delicados são os ideais;
- Looks monocromáticos dão unidade ao visual e evitam recortes da silhueta.
- Bem simples, não é, meninas?

Fonte: Bottero
Imagens: Blog Dona de Beleza

Como organizar seus sapatos em espaços pequenos

5 de setembro de 2014

É muito comum termos mais calçados do que espaço para guardá-los, concordam? Mesmo que sua coleção não seja gigantesca, ela ocupa um espaço considerável, principalmente se você os guarda com o devido cuidado. Por isso, as dicas de hoje são para ajudar você a manter seu espaço otimizado e seus calçados organizados, confira!

Organizadores


Os organizadores de sapatos – produzidos em TNT e plástico – não são uma novidade, mas não é à toa que eles estão há tanto tempo no mercado. Atualmente é possível encontrar diversos modelos que podem ser guardados no armário, atrás da porta e até mesmo embaixo da cama.

Você encontra esse tipo de organizador em mercados e lojas de departamento.

Móveis com dupla função


Um móvel funcional é ideal para otimizar seu espaço e ainda deixar seus pertences bem organizadinhos! Existem vários modelos, como puffs que servem de baú, sapateiras que também são cômodas e por aí vai. Em uma loja de móveis, você certamente irá encontrar esses mobiliários, mas se quiser algo bem específico, procure um marceneiro.

Faça você mesmo


Você pode fazer seu próprio organizador de sapatos utilizando objetos que tem em casa ou que custam barato. A primeira dica é reaproveitar canos de PVC grandes. Corte-os do tamanho (aproximado) dos seus calçados e empilhe-os em um canto. É possível ainda fazer o mesmo utilizando garrafas PET (de 3 litros) e outros objetos cilíndricos.

Outro truque é adaptar os cabides e então pendurar seus calçados no armário. Funciona assim: utilizando um alicate, corte a metade inferior do cabide, então dobre as hastes restantes, deixando elas na vertical – é nesse espaço que os calçados serão encaixados. Não se esqueça de proteger as pontinhas do cabide, para que elas não furem o calçado.

Fonte e imagens: Bottero


 

Posts Comments

© 2014 Ponto 3 e Calçados Schmidt · Agência Pronúncia